quinta-feira, dezembro 02, 2004

Jorge Viegas

CÍRCULO DE SOMBRA

Ao Rui Knopfli

A minha alma é um círculo de sombra.
Os meus poemas são a pálida mensagem
dum homem melancólico. Se sou poeta,
decerto não o sou do tempo presente.

Escrevo poemas de amor, e os meus poemas
não conduzem os povos à contestação.
Gosto de passear nas ruas a antiga liberdade
que eu sei haver nos poetas que mais amo.

Uma liberdade que não conduz a nada,
uma liberdade que não explica nada.
Leio velhos filósofos de antigamente,

e velhos poetas, mais velhos ainda.
De quando em vez, monólogos em surdina.
A minha alma é um círculo de sombra.


[114]

1 comentário:

  1. Tão bonito, Miguel! Não conhecia, obrigada! _ IO.

    ResponderEliminar