quarta-feira, novembro 10, 2004

Albino Magaia

NO SUL NADA DE NOVO

Ao mestre Craveirinha

Lá mais para o Sul
Mandela
continua a sonhar com uma estrela
Violas electrónicas do Soweto
vomitam notas de sangue
sobre os céus de Johannesburg
enquanto Miriam Makeba
curte o exílio na Guiné
Há joverns que morrem
suicidando-se em Smadje-Mandje
num contraste de preto e branco
com a sumptuosidade multinacional
nos lupanares do Transkey
Mama Winnie
essa grávida de coerência
continua a sonhar com o gesto íntimo de Nelson
depois de séculos de separação
como se fosse brincadeira
a interposição de Vorster e Botha
entre ela e os beijos do seu herói
Em Robben
há um militante não racista que morre
e os sobreviventes entoam Nkosi Sekelela
enquanto a noite da África Austral
ganha mais uma estrela
que não é ainda
a estrela com que Mandela sonha
Ouvi dizer
pelos jornais e pela rádio
que os filhos de Ghandi e outros deserdados
ganharam direito a voto lá no Sul
Só que os guerreiros de Tchaka
estão a morrer baleados ou enforcados
num ensaio geral organizado e eficiente
da nova edição modernado Dingana´s Day


[109]

4 comentários:

  1. Não conhecia, vou guardar! _ um beijo, IO.

    ResponderEliminar
  2. Belissimo!! O mestre Craveirinha merece a beleza destas palavras!

    ResponderEliminar
  3. IO: é lindo, não é?

    Maria: muito obrigado pela visita. sempre sempre honrando e tentando celebrar os mestres das palavras moçambicanas

    ResponderEliminar
  4. Fique mais um obrigado pelo seu trabalho de divulgação de autores moçambicanos. E um abraço.

    ResponderEliminar